Argentina pode ser sede de reunião da Unasul sobre pacto militar

A Argentina aceitou nesta segunda-feira uma proposta para ser a sede de uma reunião extraordinária de presidentes sul-americanos para tratar do polêmico acordo militar entre Colômbia e EUA.

REUTERS

10 de agosto de 2009 | 14h14

O encontro proposto pelo presidente do Equador, Rafael Correa, seria realizado em Buenos Aires para permitir a presença de seu colega colombiano, Álvaro Uribe.

O presidente colombiano desistiu de participar nesta segunda-feira de uma cúpula da União Sul-Americana de Nações (Unasul) em Quito, devido às frequentes críticas do Equador a seu governo.

O acordo para que os Estados Unidos usem até sete bases militares colombianas para a luta contra o narcotráfico mobilizou a região. Os governos de esquerda, como o da Venezuela, advertiram até sobre um possível conflito armado, e os mais moderados, como Brasil, exigiram esclarecimentos.

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, aceitou a proposta equatoriana e garantiu que "se encarregará pessoalmente de convidar o presidente colombiano".

(Reportagem de Alexandra Valencia)

Tudo o que sabemos sobre:
EQUADORUNASULREUNIAOCOLOMBIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.