Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Argentina reclama a embaixador dos EUA por caso de mala

A Argentina manifestou naterça-feira ao embaixador norte-americano seu "desagrado emal-estar" com uma investigação realizada em Miami que vinculoua campanha eleitoral da presidente Cristina Kirchner a uma malacom dinheiro ilegal venezuelano. O caso aumentou a tensão entre os governos da Argentina edos EUA. "(O caso) nos ofendeu de maneira surpreendente e injusta",disse o chanceler Jorge Taiana ao embaixador Earl AnthonyWayne, segundo um porta-voz. Taiana acrescentou, ainda de acordo com o porta-voz, que"não tem cabimento algum a idéia de que a campanha presidencialpudesse ter sido financiada mediamente procedimentos dessanatureza". O escândalo começou em agosto, com a apreensão em umaeroporto portenho de uma mala com quase 800 mil dólares empoder do empresário venezuelano Guido Antonini Wilson, quedesembarcava em um avião fretado por uma estatal. Wilson conseguiu regressar a Miami, onde vive. Na semanapassada, na mesma cidade, foram presos três venezuelanos e umuruguaio acusados de serem agentes clandestinos do governo daVenezuela. Promotores dizem que esses agentes entregaram aWilson a mala com dinheiro destinado a ajudar a campanhaeleitoral de Cristina, e ainda tentaram comprar o silêncio doempresário. Na noite de terça-feira, o embaixador Wayne divulgou umasucinta nota afirmando: "Disse ao ministro que informaria aWashington sobre a mensagem de Taiana através dos canaisoficiais, e compartilhei com ele a perspectiva dos EstadosUnidos sobre tais fatos." Cristina é uma grande aliada do presidente venezuelano,Hugo Chávez, que não esconde sua antipatia pelos EstadosUnidos. Ambos os líderes sul-americanos qualificaram o processojudicial em Miami como "lixo". Na reunião de 40 minutos na terça-feira, Taiana disse aWayne que cabe aos EUA tomar as medidas judiciais necessáriaspara que "se concretize a extradição de Antonini requerida pelaArgentina assim que se deu o incidente no aeroporto". A Justiça argentina ampliou na terça-feira a investigaçãosobre o episódio protagonizado pelo empresário -- que já eraacusado de contrabando e agora passou também a ser suspeito delavagem de dinheiro.(Reportagem de Damián Wroclavsky)

REUTERS

19 de dezembro de 2007 | 09h04

Tudo o que sabemos sobre:
ARGENTINAQUEIXAEUAMALA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.