Argentina se diz indignada pela nomeação de ministro do Irã

A Argentina manifestou nesta sexta-feira "sua mais enérgica condenação" pela nomeação de Ahmad Vahidi ao cargo de ministro de Defesa do Irã, que considerou uma "afronta" às vítimas de um atentado que em 1994 matou 85 pessoas ao destruir a sede do principal centro judeu em Buenos Aires.

REUTERS

21 de agosto de 2009 | 20h14

"A nomeação do sr. Ahmad Vahidi ao posto de ministro da Defesa do Irã constitui uma afronta à Justiça argentina e às vítimas do brutal atentado terrorista contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia)", disse o Ministério de Relações Exteriores argentino em nota.

Vahidi é procurado pela justiça argentina sob a acusação de ter participação no planejamento do atentado.

A chancelaria argentina afirmou que há um mandado de busca internacional da Interpol contra Vahidi.

"Sua nomeação para ocupar um cargo ministerial no Irã foi recebida com grande preocupação e merece a mais enérgica condenação do governo de nosso país", disse a nota.

O governo argentino também reiterou sua exigência ao Irã para que coopere de "maneira plena com a justiça argentina", permitindo que as pessoas acusadas de participar do atentado contra a Amia sejam julgadas por tribunais competentes.

(Reportagem de Guido Nejamkis)

Tudo o que sabemos sobre:
ARGENTINAIRAINDIGNADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.