Argentinos culpam Cristina por crise agropecuária no país

Pesquisa indica que a imagem da presidente é considerada 'regular' para 41% da população argentina

Ariel Palacios, correspondente de O Estado de S.Paulo na Argentina,

30 de março de 2008 | 21h32

Os argentinos culpam a presidente Cristina Kirchner do atual conflito do setor agropecuário, que está provocando desabastecimento de alimentos e uma nova escalada da inflação - que em março poderia ter alcançado 3,5%. A pesquisa, realizada pela Universidade Aberta Americana (UAI), indica que um total de 57,3% dos entrevistados consideram que ela é a responsável - para 30%, ela possui "muita" culpa, enquanto que 27,3% afirmam que "toda" a responsabilidade da presidente.   Governo argentino diz só haver diálogo com fim da greve   A pesquisa também sustenta que a "lua de mel" dos argentinos com Cristina acabou. A imagem positiva da presidente é de 27%, enquanto que a negativa é de 25%. A imagem "regular" predomina, com 41%.   Uma pesquisa de circulação secreta encomendada pelo governo, segundo o jornal Clarín, provocou elevada preocupação na Quinta de Olivos, a residência presidencial. Ela indica que 62% dos argentinos optam por respaldar o setor agropecuário, no conflito com o governo.   'Musculatura'   Na terça-feira, Cristina Kirchner tentará exibir "musculatura política". No fim da tarde, a Confederação Geral do Trabalho (CGT) realizará uma marcha de apoio à presidente. Os organizadores da manifestação a favor de Cristina pretendem levar dezenas de milhares de pessoas à praça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.