Arqueólogos exumam corpos sacrificados no Peru

Três equipes de arqueólogosexumaram desde a última semana restos de pessoas -- inclusiveuma grávida -- sacrificadas em antigos rituais no Peru. Giuseppe Orefici, diretor do Centro Italiano de PesquisaPré-Colombiana, encontrou dois corpos, tecidos e cerâmicas nosítio de Cahuachi, parte da civilização nazca, que floresceu noPeru entre os anos 300 e 800, e que deixou gigantescas linhastraçadas no deserto do sul peruano, que são melhor vistas doalto. "Um sacrifício humano é muito importante", disse Orefici,que há décadas trabalha no local. "Sacrifícios humanosaumentavam o valor da oferenda." O Peru tem centenas de sítios arqueológicos, algunsmilenares, relacionados a dezenas de culturas. A ocorrência de sacrifícios humanos no Peru pré-hispâniconão é novidade, mas a ocorrência de três descobertas na mesmasemana é algo excepcional. Em Sacsayhuaman, fortaleza inca perto de Cuzco (leste),arqueólogos do Instituto Nacional de Cultura encontraram oitotumbas com mais de 20 esqueletos, prováveis restos desacrifícios rituais. Cuzco foi a capital do império inca, quedominou a região de cerca de 1200 até a chegada dos espanhóis,em 1532. A terceira descoberta foi protagonizada por Carlos WesterLa Torre, diretor do Museu Bruning, do norte do Peru, no sítiode Chotuna Chornancap, perto da cidade de Lambayeque. Ele achou os esqueletos de dez mulheres, sendo uma delasgrávida. Todas aparentemente foram sacrificadas em rituais. A civilização Lambayeque prosperou no Peru entre os anos800 e 1300, aproximadamente. Arqueólogos acreditam que grávidasraramente eram sacrificadas, devido ao elevado valor conferidoà fertilidade nessa cultura. "É um caso muito irregular", disse La Torre, cuja equipetambém encontrou restos de lhamas e um mural numa parede hojeenterrada. Eles esperam que essas sejam as primeiras de muitasdescobertas no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.