Assembléia Constituinte do Equador prorroga funções por 60 dias

Elas deveriam ser concluídas em 27 de maio; previsão é que nova Constituição fique pronta até 26 de julho

Efe,

21 de maio de 2008 | 04h03

A Assembléia Constituinte do Equador, que redige a nova Carta Magna do país, decidiu nesta terça-feira prorrogar por 60 dias suas funções. Elas deveriam ser concluídas em 27 de maio. Com 103 dos 130 votos que integram a Constituinte, a Assembléia resolveu fazer uso da prorrogação de 60 dias que lhe faculta o estatuto de sua criação, aprovada em um plebiscito no ano passado. O primeiro vice-presidente da Assembléia, o governista Fernando Cordero, indicou que se os novos prazos forem cumpridos a nova Constituição equatoriana estará pronta antes de 26 de julho. Segundo o estatuto da Assembléia, o fórum devia funcionar por 180 dias, mas estabelecia a possibilidade de prolongar esse período por dois meses. Cordero disse que a prorrogação permitirá à Assembléia concluir os debates e análises dos capítulos que integrarão a futura Carta Magna.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorAssembléia Constituinte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.