Ataque das Farc explode oleoduto da Ecopetrol na Colômbia

O maior grupo rebelde da Colômbia explodiu uma parte do oleoduto Caño Limon-Covenas, com capacidade para 220 mil barris por dia, afirmaram a Ecopetrol e o exército neste domingo, no mais recente de uma série de ataques à infraestrutura petrolífera do país.

Reuters

22 de julho de 2012 | 17h41

Ataques de guerrilhas no quarto maior produtor de petróleo da América Latina se intensificaram neste ano, especialmente contra o óleoduto de 780 quilômetros de Caño Limon-Covenas, que usualmente bombeia 80 mil barris por dia, ou cerca de um terço da sua capacidade.

Foram registrados 67 ataques a oleodutos na primeira metade deste ano, mais que o triplo registrado no mesmo período do ano passado, segundo dados do Ministério da Defesa.

O ataque as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), aconteceu no sábado no norte da província de Boyacá e derramou óleo cru em um rio próximo, disseram o exército e a companhia.

Na sexta-feira, no município de Orito, na província de Putumayo, rebeldes destruíram linhas que ligaram um campo de petróleo da Ecopetrol a um oleoduto na região.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta; texto de Jack Kimball)

Mais conteúdo sobre:
COLOMBIAFARCOLEODUTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.