Ataques com granada matam 8 no Dia da Independência do México

Suspeitos de ligações com onarcotráfico jogaram granadas em uma multidão que celebrava oDia da Independência no México, matando pelo menos oito pessoase ferindo mais de 100, em um aumento da intensidade de umaguerra entre o governo e cartéis da droga. As explosões aconteceram em uma praça na cidade colonial deMorelia na noite de segunda-feira, durante uma tumultuada festaliderada pelo governador do Estado de Michoacan para marcar odia nacional mexicano. Dezenas de feridos, incluindo mulheres e crianças, estavamdeitados em piscinas de sangue. Pessoas que antes participavamda festa andavam atordoadas ao lado da catedral da cidade, queé a terra natal do presidente mexicano, Felipe Calderón. O governador Leonel Godoy disse que a polícia suspeita queo ataque seja de autoria do "crime organizado" --um termo usadofrequentemente para referência aos cartéis mexicanos da droga.Os cartéis já mataram 2.700 pessoas neste ano em lutas entretraficantes e em ataques contra a repressão do governo. Frequentemente, traficantes torturam e decapitam rivais eentram em conflitos com forças de segurança, mas não houveataques com um alto número de civis feridos antes. "Achamos sem dúvida que foi o crime organizado, embora istoesteja sendo investigado pela promotoria geral", disse Godoy aocanal Televisa. Testemunhas viram um homem vestido de preto jogar umagranada na multidão e depois pedir desculpas para pessoas aoseu lado pelo que tinha feito, disse o governador. Mexicanos se reúnem nas praças das cidades em todo o paísna noite do dia 15 de setembro para celebrar a proclamação daindependência, feita em 1810 pelo padre católico MiguelHidalgo, que se revoltou contra o domínio espanhol tocando umsino de igreja e gritando "Viva México" para uma multidão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.