Atiradores matam 19 pessoas em clínica de reabilitação no México

Grupo se identificou como policiais e invadiu clínica; país sofre com guerra de cartéis de drogas

REUTERS

11 de junho de 2010 | 16h34

Homens armados invadiram uma clínica de recuperação de drogas em Chihuahua, no norte do México, e mataram 19 jovens viciados, na mais recente de uma onda de ataques a instituições deste tipo perto da fronteira com os Estados Unidos, informou a polícia nesta sexta-feira, 11.    

 

Veja também:

linkGuerra do tráfico deixa vinte mortos no norte do México

Vinte homens armados com pistolas automáticas entraram na clínica "Fé e Vida" se identificando como policiais na noite de quinta-feira. Eles dominaram os 19 pacientes, com idades entre 18 e 25 anos, e os posicionaram antes de executá-los.

A polícia encontrou quase 200 invólucros de balas de diferentes tipos de armas no local do crime. Mais de 23 mil pessoas morreram em casos de violência relacionados ao narcotráfico no México desde que o presidente Felipe Calderón tomou posse, no fim de 2006, e declarou guerra aos cartéis de drogas.

A violência em estados do norte do país, como em Chihuahua, aumentou com tiroteios e massacres, já que os cartéis brigam entre si e disputam rotas valiosas de contrabando para os Estados Unidos.

Calderón, que está na África do Sul para assistir ao México no jogo de abertura da Copa do Mundo, condenou os assassinatos.

"(Esses) são atos revoltantes que reforçam a necessidade de lutar com todas as forças da lei contra grupos criminosos que realizam tal barbárie", ele disse em comunicado.

Ciudad Juárez, tomada pela violência das drogas, é atualmente considerada uma das cidades mais violentas do mundo.

(Reportagem de Julian Cardona)

Tudo o que sabemos sobre:
MEXICOATIRADORMATA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.