Autoridades resgatam japonês sequestrado em março na Colômbia

Homem foi raptado por criminosos comuns que teriam o 'vendido' às Farc por não receberem resgate

Efe,

15 de agosto de 2010 | 19h42

BOGOTÁ- A Polícia da Colômbia recuperou neste domingo, 15, o cidadão japonês Masao Tustsui, sequestrado no dia 23 de março em uma zona rural do município de Candelaria, no sudoeste do país, aparentemente em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, confirmaram à agência Efe fontes oficiais.

 

Veja também:

linkFarc viram ''párias da região''

 

O japonês, de 69 anos, tinha sido sequestrado por criminosos comuns que pediam um resgate de 1 bilhão de pesos (US$ 540.500) e ao não receberem o valor supostamente "venderam" o refém às Farc, segundo informaram recentemente fontes policiais.

 

Tustsui foi resgatado por membros do grupo antiseqüestro da Polícia (Gaula) na madrugada de hoje em uma zona rural localizada entre os municípios da Flórida, departamento de Valle del Cauca, e Miranda (Cauca).

 

O cidadão japonês se reencontrou com seus familiares em Cali e Candelaria e depois foi submetido a exames médicos porque tinha problemas de hipoglicemia.

Os policiais passaram uma semana seguindo a pista dos supostos rebeldes que tinham o sequestrado, e na madrugada deste domingo realizaram o resgate após manter duros combates com os guerrilheiros.

 

Tustsui tinha sido sequestrado no dia 23 de março de 2010, quando dirigia sua caminhonete por uma zona rural de Candelária.

 

O cidadão japonês resgatado vive na Colômbia há 35 anos e é pai de quatro filhos.

 

Tustsui é o primeiro refém resgatado no governo do novo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, que como ministro da Defesa na Administração anterior liderou o resgate da ex-candidata à presidência Ingrid Betancourt, três americanos e outros 11 sequestrados em poder das Farc.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.