Avião com Fujimori decola de Santiago em direção a Lima

Junto com o ex-presidente, viajam o diretor-geral da polícia peruana, oficiais da Interpol e médicos

Efe,

22 de setembro de 2007 | 11h02

O avião que extradita o ex-presidente peruano Alberto Fujimori para Lima decolou neste sábado, 22, às 8h53 (9h53 de Brasília), do aeroporto de Santiago do Chile.  Fujimori, cuja extradição foi aprovada na sexta pela Suprema Corte chilena, tinha chegado ao Aeroporto Internacional de Santiago cerca de 80 minutos antes, a bordo de um helicóptero da polícia local. O avião que transporta o ex-presidente peruano estava estacionado numa área de segurança máxima reservada à Força Aérea do Chile e geralmente usada pela presidente do país, Michelle Bachelet, em suas viagens ao exterior. Segundo informações, a aeronave que leva Fujimori para Lima, um avião de carga da Polícia Nacional do Peru (PNP), com dois motores e pouca autonomia de vôo, deveria reabastecer em Antofagasta, cerca de 1.400 quilômetros ao norte de Santiago, e na cidade peruana de Tacna, que faz fronteira com a localidade chilena de Arica. Junto com Fujimori, viajam o diretor-geral da polícia peruana, David Rodríguez, quatro oficiais da Interpol e médicos que examinaram Fujimori exaustivamente antes de seu embarque.  O ex-presidente peruano está sendo extraditado por sete dos 13 casos pelos quais é acusado. Em dois deles, relacionados às violações dos direitos humanos cometidas nos massacres de Barrios Altos e La Cantuta, os juízes chilenos votaram de forma unânime pela extradição do ex-governante. Detenção Fujimori ficará detido temporariamente na sede da Direção de Operações Especiais da Polícia Nacional (Diroes), no leste de Lima, anunciou neste sábado o ministro do Interior do país, Luis Alva Castro."Um local temporário foi disponibilizado na Diroes" para abrigar o ex-presidente, disse hoje o ministro do Interior em declarações à "Cadeia Peruana de Notícias" (CPN).Alva Castro afirmou que a custódia de Fujimori, que governou o Peru entre 1990 e 2000, ficará a cargo do Instituto Nacional Penitenciário (INPE), conforme determina a lei."Nós cedemos um espaço, estamos dando todas as garantias, toda a assistência e todas as facilidades para que o devido processo seja concluído", acrescentou o ministro.O jornal peruano La República publicou neste sábado que um espaço blindado de aproximadamente 50 metros quadrados foi preparado dentro da sede da Diroes para abrigar Fujimori por cerca 15 dias, até que seja decidido onde ele ficará durante seu julgamento.Aproximadamente 80 agentes especializados em operações de alto risco e equipados com armas automáticas, visores noturnos e outros instrumentos de última geração se revezarão para manter isolada a área do batalhão em que o ex-presidente ficará detido, revelou uma fonte policial à publicação.O agente policial citado pelo La República acrescentou que Fujimori se alimentará com o que for levado pela família.O traslado do ex-presidente até a sede da Diroes acontecerá sob um forte esquema de segurança, que mobilizará helicópteros, carros blindados e mais de 200 policiais.

Tudo o que sabemos sobre:
Alberto FujimoriPeru

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.