Avião sai da pista em Honduras e mata pelo menos 3

Embaixador brasileiro é ferido no acidente; Airbus 390 da companhia aérea Taca tinha 142 passageiros a bordo

Agências internacionais,

30 de maio de 2008 | 13h47

Pelo menos três pessoas morreram nesta sexta-feira, 30, em conseqüência de um acidente envolvendo um avião com 124 passageiros que não conseguiu aterrissar corretamente no aeroporto de Toncontín, em Tegucigalpa, capital hondurenha. A polícia informou que há cerca de 75 feridos - um deles é o embaixador do Brasil em Honduras, Brian Michael Fraser Neele. Um corpo está preso na parte danificada da aeronave.     Foto: Efe   O diretor do hospital-escola de Tegucigalpa, Tito Alvarado, informou em entrevista coletiva que o nicaragüense Harry Brautigam morreu. Presidente do Banco Centro-americano de Integração Econômica (BCIE), Brautigam teve problemas cardíacos quando era atendido no hospital, após ser trazido do local do acidente.   Marcos Burgos, chefe da Comissão de Situações Emergenciais, informou à rede CNN que "foi recuperado o corpo do piloto". Ainda segundo Burgos, aparentemente ele é a última vítima restante, mas estão sendo realizadas "revisões para ver se há mais gente."   O avião pertence à empresa Taca. O problema no vôo 390 dessa companhia ocorreu quando o avião tentava pousar, ultrapassou o limite da pista e parou apenas em uma rua próxima. "Não sei o que ocorreu, mas investigamos o acidente", disse o gerente-geral da empresa em Honduras, Armando Funes, à rádio HRN.   Segundo a porta-voz da Taca Claudia Arenas, havia no Airbus 320 os 124 passageiros, além dos tripulantes. Burgos disse que "a pista estava bem molhada", o que pode ser uma das causas para o acidente. A tempestade tropical Alma provocou intensas chuvas na cidade durante as últimas horas.   O avião partiu de San Salvador, às 8h30 no horário local. Seguiria após o pouso em Tegucigalpa para San Pedro Sula, 180 quilômetros ao norte, e tinha como destino final Miami.   Embaixador brasileiro   Segundo informações da embaixada, Neele quebrou uma perna e foi levado para um hospital particular.   A embaixada informou também que o diplomata estaria passando bem. Ele havia viajado ao país vizinho para acompanhar a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a El Salvador.     (Matéria atualizada às 18h20)  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.