Bird: petróleo e alimentos criarão 10 milhões de pobres na AL

Países precisam promover estratégias de contenção, fazer frente à atual crise e deter crescimento da pobreza

Efe,

11 de junho de 2008 | 04h31

O aumento dos preços do petróleo e dos grãos básicos no mercado internacional criará dez milhões de novos pobres na América Latina, alertou nesta terça-feira, 10, o Banco Mundial (Bird). Em entrevista coletiva na Guatemala, Juan José Debout, diretor-geral do Bird, disse que "uma combinação de fatores" provocou o crescimento da pobreza no subcontinente, dentre os quais mencionou a desaceleração da economia americana e a alta dos preços do petróleo e dos grãos básicos. Essa situação, declarou Debout, impõe "desafios extras aos países" latino-americanos que precisam promover estratégias de contenção, fazer frente à atual crise e deter o crescimento da pobreza. O diretor-geral do Bird, que iniciou uma visita de dois dias à Guatemala, se reuniu com o presidente Álvaro Colom e seu gabinete econômico, para analisar os efeitos da crise mundial gerada pela alta do petróleo e do preço dos alimentos. "É importante reconhecer que este é um fenômeno mundial, e que há uma responsabilidade dos países e dos governantes", declarou. Segundo as previsões do Bird, pelo menos 800.000 novos pobres surgirão na região da América Central, cujos países se verão altamente afetados pela crise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.