Bogotá diz passar de 'aproximações a acordos' em diálogo com Farc

O diálogo de paz entre o governo colombiano e a guerrilha Farc passou "das aproximações aos acordos" a respeito do tema agrário, mas ainda faltam resultados concretos que permitam encerrar décadas de guerra civil, disse o principal negociador governamental na sexta-feira.

Reuters

01 de março de 2013 | 20h03

Concluindo em tom otimista a sexta rodada de negociações em Havana, os representantes do governo falaram pela primeira vez sobre a possibilidade de acordos, após três meses de negociações às vezes tensas.

"Passamos, com as Farc, das aproximações aos acordos ao redor de um processo de desenvolvimento rural profundo, o qual faz parte dos propósitos centrais do governo", disse o ex-vice-presidente Humberto de la Calle.

Mas ele cobrou das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) a busca por "resultados", no que considerou como um momento "chave" do processo de paz.

"Isso é, acordos no tema agrário que nos permitam continuar com a discussão de outros pontos da agenda definida", acrescentou a jornalistas.

O tema agrário é o primeiro de cinco pontos de uma pauta de discussões. As Farc apresentaram várias propostas, entre elas a formação de uma comissão que investigue acusações de que o grupo rebelde tirou terras de camponeses pobres.

De la Calle admitiu que a guerrilha manifesta a intenção de "dar a cara às suas vítimas" e responder por seus atos.

"Nesse trânsito da vida armada para a legalidade que esperamos que ocorra, é fundamental reconhecer e ressarcir o dano causado", afirmou.

(Reportagem de Nelson Acosta)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAFARCAPROXIMACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.