Bolívia abate monomotor carregado com cocaína

A força de combate ao tráfico da Bolíviaabateu a tiros na segunda-feira um monomotor que carregava pelomenos 120 kg de cocaína e que seria tripulado por brasileiros,segundo as primeiras informações. O piloto morreu e o co-pilotoficou ferido, afirmou a imprensa local. A operação aconteceu no distrito de Santa Cruz, região emque os traficantes costumam usar qualquer clareira ou planíciecomo pista de aterrissagem. Segundo o jornal La Razón, o piloto morreu carbonizado e oco-piloto sofreu queimaduras de segundo grau em 75 por cento docorpo. Presumia-se que os tripulantes fossem brasileiros quemoravam no Paraguai. Os cúmplices deles teriam fugido com achegada da polícia. Foi a primeira vez em pelo menos 20 anos que as autoridadesbolivianas registram o abate de um avião carregado de cocaína. O promotor Joadel Bravo disse ao jornal que o incidenteaconteceu em uma pista improvisada em meio a uma plantação desoja, a cerca de 70 km da cidade de Santa Cruz. "(Na manhã de segunda-feira), a aeronave aterrissou, foicarregada com cocaína e combustível e se preparava paradecolar. Nesse momento os agentes da FELCN (força antidrogas)se identificaram, os traficantes atiraram neles e começou atroca de tiros", contou o promotor. Segundo ele, o Cessna decolou no meio do confronto, mas foiabatido em seguida pelos policiais. Imagens da TV mostraram os restos do avião, que tinhabandeira paraguaia. Segundo várias denúncias da embaixada dosEstados Unidos em La Paz, a produção de cocaína aumentou desdeque Evo Morales assumiu a Presidência da Bolívia, em janeiro de2006. O governo boliviano nega e afirma que está implementando umprograma eficaz de redução do cultivo da folha de coca, emcolaboração com os sindicatos de cocaleiros, liderados pelopróprio Morales. A Bolívia é considerado o terceiro maior produtor de coca ecocaína do mundo, depois de Colômbia e Peru.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.