Bolívia acorda transferência de ações nacionalizadas com Ashmore

País assume o controle formal da Transredes, já que a Ashmore possuía 25% das ações da transportadora

EFE,

18 de outubro de 2008 | 01h12

A empresa britânica Ashmore assinou, nesta sexta-feira, um acordo para transferir ao Estado boliviano suas ações na transportadora de hidrocarbonetos Transredes, que foi nacionalizada pelo presidente Evo Morales. Os convênios foram assinados no Palácio do Governo de La Paz entre representantes da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) e da Ashmore, e em presença do vice-presidente do Governo, Álvaro García Linera, e do ministro de Hidrocarbonetos, Isaac Ávalos. Com este acordo, a companhia britânica aceita a oferta de US$ 48 por ação para a transferência à YPFB e suspende o processo internacional no valor de US$ 500 milhões na Câmara de Comércio de Estocolmo, posterior à nacionalização. Assim, o Estado boliviano assume o controle formal da Transredes, já que a Ashmore possuía 25% das ações da transportadora. "O Governo recuperou os últimos 25% das empresas nacionalizadas e assumiu 97,4% do total das ações da Transredes", informou o ministro de Hidrocarbonetos. Ávalos comemorou este contrato, que "permite o controle majoritário de uma das empresas nacionalizadas", e assegurou que o Governo será "honesto" e "pagará o preço justo às empresas que decidiram acompanhar o projeto" de nacionalização dos recursos naturais bolivianos.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAACORDOHIDROCARBOMETOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.