Bolívia aprova renda de idosos e saída da Constituinte de Sucre

O governo de Evo Morales conseguiu naquarta-feira aprovar no Congresso a polêmica renda universalpara idosos, criticada pela oposição, e um decreto que autorizaa transferência da Assembléia Constituinte da convulsionadacidade de Sucre. Morales promulgou a lei da chamada "Renda Dignidade" numgrande ato público, e declarou o 28 de novembro como "Dia daJustiça Social". Além disso, anunciou uma grande marchaindígena no dia 14 ou 15 de dezembro para celebrar a aprovaçãoda nova Constituição. Essas medidas são uma aparente reação ao desafio lançadopor governadores e dirigentes da oposição, que declararam grevegeral na quarta-feira nos seis Departamentos sob seu controle. "A todos os movimentos sociais, a seus dirigentes, em nomedo governo, muitas felicidades e muita sorte para quecontinuemos lutando", disse Morales a centenas de indígenasreunidos diante do palácio presidencial para celebrar apromulgação da renda universal. "Desejo que no dia 14 ou no dia 15 se realize uma grandemarcha dos povos, para entregar a nova Constituição ao PoderExecutivo e ao Congresso, com um marcha indígena igual à do anopassado na inauguração da Assembléia", acrescentou. Numa surpreendente jogada política, o Movimiento AlSocialismo (MAS), de Morales, aproveitou a ausência da oposiçãopara conseguir autorização do Congresso para a reabertura daAssembléia Constituinte em qualquer lugar do país, após osdistúrbios registrados em Sucre causarem ao menos três mortescivis. A autorização, que para virar lei precisa apenas daassinatura de Morales, abre caminho para que se realize umacorrida contra o tempo para aprovar os detalhes da novaConstituição, o que tem de ser feito até o dia 14 de dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.