Bolívia condena propaganda eleitoral de Oviedo no Paraguai

Na imagem, candidato favorito à Presidência do país, Fernando Lugo, é comparado a Morales e Chávez

Efe,

01 de abril de 2008 | 17h11

A embaixada da Bolívia no Paraguai exigiu nesta terça-feira, 1, que o general aposentado e candidato à Presidência paraguaia Lino Oviedo suspenda a veiculação de uma propaganda eleitoral em que o presidente boliviano Evo Morales e o líder venezuelano Hugo Chávez aparecem ao lado do ex-bispo Fernando Lugo, favorito nas pesquisas para as eleições paraguaias de 20 de abril. Na imagem, publicada desde o fim de semanada passado, Oviedo ainda aparece ao lado do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e da líder argentina, Cristina Kirchner.   Veja também: Candidato paraguaio comemora ser 'dor de cabeça' para Brasil   "Com grande surpresa vi os jornais na semana passada com esta propaganda, com alusões negativas ao presidente constitucionalmente eleito no meu país", disse em nota o embaixador boliviano em Assunção, Marco Antonio Vidaurre. Na carta, o embaixador acrescenta que "não pode deixar de mostrar o desgosto de seu governo pela publicação da falácia, cujos autores, aparentemente, desconhecem as normais mais elementares do relacionamento internacional."   Na propaganda, ainda constam os nomes das hidrelétricas de Itaipu e Yacyretá, que o Paraguai divide com Brasil e Argentina. A questão energética se tornou um dos principais temas da campanha eleitoral paraguaia. A discussão sobre a revisão do tratado de Itaipu colocou o Brasil no centro da campanha presidencial.   Lugo, um ex-bispo católico que representa uma aliança de partidos e movimentos opositores, tem como foco de campanha a reclamação de um preço melhor pela energia que o Paraguai vende a seu principal sócio comercial. O candidato deve se encontrar com o presidente Lula na quarta-feira, 2. Na semana passada, o Lugo comemorou ser uma "dor de cabeça" para o País na questão energética.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.