Bolívia convida presidente equatoriano para assembleia da OEA

O presidente da Bolívia, Evo Morales, quebrou o protocolo ao convidar nesta sexta-feira seu colega equatoriano, Rafael Correa, para uma assembleia ministerial anual da Organização dos Estados Americanos (OEA), que começa no domingo perto de Cochabamba.

REUTERS

01 de junho de 2012 | 19h23

Não se conhecia a resposta de Correa ao convite para a assembleia, que geralmente tem a participação apenas de chanceleres do continente. Tampouco havia a reação do secretário-geral da OEA, o chileno José Insulza, principal responsável pela organização do encontro.

A presidência boliviana informou que o equatoriano havia manifestado interesse em participar da reunião, na qual a principal ausência será a da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton.

Morales, cuja participação no fórum deveria se restringir à inauguração protocolar, segundo pauta divulgada pela OEA, disse em carta a Correa que recebeu "com agrado" o interesse do colega para participar do "ato histórico".

Morales disse esperar que a assembleia reafirme o apelo a um diálogo entre o seu país e o Chile a respeito da reivindicação boliviana de acesso ao oceano Pacífico.

O presidente boliviano afirmou também que solicitará apoio regional à reivindicação argentina pelas ilhas Malvinas.

A assembleia vai durar três dias, na localidade de Tiquipaya, vizinha a Cochabamba.

(Reportagem de Carlos A. Quiroga)

Mais conteúdo sobre:
BOLIVIAEQUADOROEA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.