Bolívia discute como desbloquear Assembléia Constituinte

O governo boliviano conseguiu naterça-feira abrir um diálogo com autoridades e dirigentes deSucre na busca por uma solução no conflito sobre a sede dosPoderes Executivo e Legislativo, que paralisa a AssembléiaConstituinte do país há quase um mês. O ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, se reuniupor três horas com líderes sulistas, um dia depois de conversarcom representantes de La Paz, atual sede do governo boliviano,contrária à transferência dos poderes para Sucre. "Um dos acordos agora é manter esse diálogo, há propostasde ambas as partes e vamos conversar de novo com o governo epossivelmente também com La Paz", disse à rádio Erbol o líderdo comitê que defende a chamada "capitalidade plena" de Sucre,Jaime Barrón. Quintana, homem-forte do governo de Evo Morales, disse queestava realizando "uma tarefa essencial de mediação" para que oconflito não bloqueie mais as sessões plenárias daConstituinte, instalada há 13 meses em Sucre. Mas ainda restam outros focos de tensão, como o julgamentopor prevaricação proposto por Morales contra quatro juízes doTribunal Constitucional e propostas de setores do governo deincluir na nova Constituição a possibilidade de reeleiçãoindefinida do presidente. Morales, que já declarou várias vezes não estar interessadona reeleição, acusou a direita de usar o tema e de incentivar oconflito sobre a capital a fim de levar a Constituinte aofracasso. A Assembléia tem até dezembro para promulgar a novaCarta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.