Bolívia diz que avião que transportou dólares não fez escala

Aeronave que foi da Venezuela à Argentina com mala de dólares não-declarados teria apenas sobrevoado o país

15 de agosto de 2007 | 15h13

O governo da Bolívia afirmou nesta quarta-feira, 15, que o avião que transportou o empresário venezuelano Guido Antonini Wilson - pego com US$ 790 mil não declarados - à Argentina não aterrissou no aeroporto da cidade de Santa Cruz e apenas sobrevoou seu território. O empresário embarcou em um vôo oficial com funcionários de ambos países no dia 3 de agosto, gerando uma nova onda de acusações de corrupção contra o governo do presidente da Argentina, Néstor Kirchner, cuja mulher Cristina concorre em outubro à Presidência. Vários membros do governo argentino já caíram, enquanto Kirchner e Hugo Chávez disputam a responsabilidade pelo ocorrido. Nesta semana, o caso passou a ter um terceiro país envolvido, a Bolívia. O ministro do Interior venezuelano, Pedro Carreño, disse que o avião que transportou o empresário fez a escala em Santa Cruz, no aeroporto de Viru Viru. Nesta quarta, o respectivo ministro boliviano, Alfredo Rada, disse à imprensa que a Aeronáutica do país certificou que a aeronave apenas sobrevoou o território aéreo boliviano. Mas o governo de Evo Morales tem recebido pressões do partido opositor, o Poder Democrático e Social (Podemos). O partido de direita pede explicações do presidente sobre uma possível autorização para que o avião aterrizasse, e se esse dinheiro saiu da Bolívia.  O ministro Rada declarou nesta quarta que lamenta esses comentários e insistiu que "não houve registro algum" de uma aterrissagem e que "o que houve foi uma permissão para sobrevôo". Mesmo assim o legislador Oscar Ortiz, chefe dos senadores do Podemos, insistiu que seu partido pedirá informações por escrito ao governo, já que Chávez veementemente insiste na escala em Santa Cruz. "Estive lendo na internet umas declarações onde Hugo Chávez em pessoa disse que o avião aterrissou na Bolívia. Justamente estamos trabalhando nisso e vamos apresentar esta tarde várias petições", disse Ortiz. O porta-voz presidencial boliviano, Alex Contreras, comentou que para o governo do país "o avião oficialmente não aterrissou". A Argentina investiga o caso, que envolve funcionários e diretores da PDVSA, a Petróleos de Venezuela S/A. A captura de Wilson foi solicitada, mas seu paradeiro ainda é desconhecido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.