Bolívia nacionalizará mineradora canadense por pressão indígena

O presidente da Bolívia, Evo Morales, decidiu nesta terça-feira anular uma concessão da mineradora canadense South American Silver, na segunda nacionalização feita em um mês sob a pressão de movimentos sociais.

CARLOS QUIROGA, Reuters

10 de julho de 2012 | 21h32

Grupos indígenas que exigiam a saída da South American Silver (SAS) do projeto da mina Mallku Khota --de prata, índio e gálio-- levaram o presidente a tomar a decisão após protestos que deixaram um morto e dezenas de feridos.

Três semanas antes, Morales decretou a reversão para domínio estatal da mina de estanho e zinco Colquiri, explorada pelo grupo suíço Glencore, acalmando uma dura disputa entre mineradores assalariados e cooperativistas pelo controle da reserva que havia sido privatizada na década passada.

Diferentemente de Colquiri, uma mina explorada há várias décadas, a mina de Mallku Khota é apenas um prospecto, na qual a empresa canadense descobriu uma gigantesca reserva de classe mundial que previa explorar eventualmente depois de 2015.

A SAS é uma mineradora júnior que havia anunciado um investimento de até 50 milhões de dólares na exploração da reserva, que seria concluída em 2015.

Mais conteúdo sobre:
BOLIVIANACIONALIZACANADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.