Bolívia pede que Europa interceda para retomar relação com EUA

O presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu na segunda-feira aos embaixadores da Europa no país sul-americano que intercedam pela nação para retomar suas relações diplomáticas com os Estados Unidos, após mais de dois anos de distanciamento.

REUTERS

27 de junho de 2011 | 18h02

Morales fez a solicitação diante de dezenas de embaixadores, representantes estrangeiros e autoridades governamentais durante um ato de promulgação de uma lei no palácio do governo, ratificando que a Bolívia tem "todas as intenções de retomar as relações diplomáticas com os EUA".

"Nossos embaixadores da Europa podem nos ajudar a recuperar essas relações diplomáticas com os Estados Unidos, mas não queremos nenhuma imposição, humilhação e condicionamentos em relação às políticas que implementamos", disse o presidente.

Morales, que mantém uma política de nacionalizações em seu segundo mandato iniciado em janeiro de 2010, expulsou em 2008 o embaixador e os agentes da agência antidrogas do país norte-americano, acusando-os de apoiar supostas ações conspiratórias da oposição conservadora.

Como resposta, os Estados Unidos expulsaram o embaixador boliviano em Washington e, desde então, a relação entre os dois países tem se deteriorado, com acusações e questionamentos a políticas governamentais de ambas as partes.

(Reportagem de Claudia Soruco)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAEUROPAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.