Bolívia promete consultar tribos sobre estrada polêmica

O governo da Bolívia abriu no domingo um processo de consulta com povos indígenas para decidir o destino de uma rodovia que enfrenta a resistência de algumas tribos e de ambientalistas.

DAVID MERCADO, Reuters

30 de julho de 2012 | 11h03

O governo irá consultar até meados de setembro 69 comunidades do Território Indígena e Parque Nacional Isiboro Secure (Tipnis), que é atravessado pelo traçado de uma rodovia de 300 quilômetros que liga o norte da Bolívia à região central do país, num projeto de 420 milhões de dólares.

"O Estado vai respeitar as decisões e opiniões dos habitantes da Tipnis", disse o ministro de Água e Meio Ambiente, Felipe Quispe. "Eles vão decidir o futuro do seu território, que já foi declarado intangível", disse ele na localidade de Oromomo, cerca de 400 quilômetros a nordeste de La Paz.

Em abril, o presidente boliviano, Evo Morales, rescindiu o contrato que havia sido concedido à empreiteira brasileira OAS. O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil) deveria financiar cerca de 80 por cento do projeto.

Algumas autoridades locais dizem que vão aproveitar o processo de consulta para pleitear melhores serviços públicos e auxílio ao desenvolvimento por parte do governo nacional.

Mas os adversários do projeto ficaram frustrados pela abertura da consulta pública, e querem o cancelamento imediato da obra.

"O governo quer nos apresentar como inimigos da democracia, mas o que realmente queremos mostrar é que é uma consulta manipulada, uma armadilha feita em favor de uma estrada que vai destruir o parque", disse Fernando Vargas, que é contra o projeto. Ele foi um dos líderes de uma marcha de 600 quilômetros contra a rodovia, que terminou em junho.

(Reportagem adicional de Carlos A. Quiroga)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLIVIAESTRADAINDIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.