Bolívia reduz superfície cultivada com folha de coca à mínima em 11 anos

A Bolívia reduziu a superfície cultivada com folha de coca em nove por cento no ano passado, o menor nível desde 2002, como parte de uma estratégia do governo para combater o narcotráfico, informou nesta segunda-feira a Organização das Nações Unidas (ONU).

REUTERS

23 de junho de 2014 | 20h11

A área cultivada da folha utilizada para produzir cocaína diminuiu para 23 mil hectares em 2013 em relação ao ano anterior, revelou o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (ONUDD, na sigla em inglês). A Bolívia é o terceiro maior produtor mundial de cocaína, atrás de Peru e Colômbia.

"O país está a caminho de alcançar o objetivo de reduzir os cultivos de coca a 20 mil hectares até 2015", disse o representante do ONUDD na Bolívia, Antonio de Leo, em uma entrevista coletiva à imprensa da qual também participou o presidente boliviano, Evo Morales.

A ONU calculou que a produção potencial de folha de coca foi de 36.300 toneladas métricas no ano passado, cerca de 11 por cento menor que a estimada em 2012, e que os preços da folha subiram em média 5 por cento em 2013.

(Reportagem de Daniel Ramos, com reportagem adicional de Michael Shields, em Viena)

Mais conteúdo sobre:
BOLIVIACOCAREDUZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.