Bombardeio mata dirigente das Farc na Colômbia

Um dirigente regional da guerrilha Farcfoi morto no domingo em um bombardeio contra o seu acampamentona divisa entre os Departamentos de Antioquia e Chocó (noroesteda Colômbia), disse na segunda-feira o ministro da Defesa, JuanManuel Santos. Jesús Agudelo, conhecido como "El Paisa", comandava a 34aFrente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e eraacusado de mais de 400 sequestros e 500 homicídios. Ele era apontado como responsável pelas mortes doex-governador de Antioquia Gilberto Gaviria e do ex-ministro daDefesa Gilberto Echeverry, assassinados durante uma tentativade resgate em maio de 2003, e também da mãe da atual ministrada Educação, Cecilia María Vélez. "Foi uma operação executada pela polícia e a Força Aérea,com apoio do Exército e da Marinha. Deu-se baixa a estedelinquente que havia assolado o ocidente de Antioquia durantemais de dez anos", disse Santos em entrevista coletiva,acrescentando que outros rebeldes morreram na operação. As autoridades ofereciam cerca de meio milhão de dólarespor informações que levassem à captura ou morte de Agudelo, quesegundo Santos liderava a frente das Farc que mais causou danosao Exército. "É um golpe importante, estávamos atrás dele há muitotempo, é uma pessoa que não pertencia nem ao Secretariado nemao Estado-Maior das Farc, mas o considerávamos um objetivo dealto valor pela crueldade e pelo dano que havia feito àpopulação civil e ao Exército", disse Santos. Nos últimos meses, ações militares e traições internasmataram importantes dirigentes das Farc, como Raúl Reyes, IvánRios e Martín Caballero. Além disso, um enfarto matou ofundador da organização, Manuel Marulanda. Na operação contra Agudelo, que teria cerca de 250guerrilheiros sob o seu comando, foi achado um computador cujasinformações ajudarão em outras operações. Santos disse que a morte de líderes como Agudelo "trazrepercussões muito negativas [para as Farc], que naturalmentevamos aproveitar". Criada na década de 1960, a guerrilha é qualificada como umgrupo terrorista por Estados Unidos e União Européia. Nosúltimos anos, ela se financia principalmente com o tráfico decocaína e a realização de sequestros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.