Bombardeio na selva colombiana mata dirigente das Farc

O líder de uma coluna da guerrilhacolombiana Farc, acusado pelo Exército de semear o terror numaampla região do sudeste do país, morreu junto com outros seterebeldes num bombardeio no meio da selva, disseram fontesmilitares na quarta-feira. A ação militar com aviões e helicópteros ocorreu na noitede terça-feira perto da localidade de Puerto Cachicamo,Departamento de Guaviare. "No desenvolvimento da operação'Alfil', com participação da Força Aérea Colombiana, as tropasdesferiram um certeiro golpe contra as estruturas do BlocoOriental", informou nota das Forças Armadas. Neftaly Murcia Vargas, o "Camilo Tabaco", comandava acoluna Manuela Beltrán das Farc, uma das mais ativas dentro doBloco Oriental, o mais importante do grupo, ativamentevinculado à produção e tráfico de cocaína. O presidente Álvaro Uribe destacou o êxito da operação e apericulosidade do rebelde morto. "Tabaco é de uma grande importância nas PlaníciesOrientais, porque a cidadania o acusava de ser o mandante demuitos ataques, de muito derramamento de sangue", disse Uribe ajornalistas. Pelo menos cinco outros líderes importantes da guerrilhamorreram em ações militares nos últimos meses, inclusive oimportante Raúl Reyes, vítima de um bombardeio colombiano emterritório do Equador, em março. Além disso, o dirigente máximo da guerrilha, ManuelMarulanda, o "Tirofijo", morreu do coração neste ano, sendosubstituído por Alfonso Cano. Para piorar a situação da guerrilha, milhares de seusmembros desertaram. As Farc chegaram a ter 17 mil integrantes,mas hoje não passam de 9.000, segundo as autoridades. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.