Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil
Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil

Brasil define plano de ação para ajudar vítimas de terremoto

Ministério da Defesa e missão de paz estabelecem 5 pontos de ação para resgate e ajuda humanitária no Haiti

Rosana de Cassia, da Agência Estado,

14 de janeiro de 2010 | 12h45

O Ministro da Defesa , Nelson Jobim, definiu com o general Floriano Peixoto, que comanda a Força de Paz da Organização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) um plano de ação para coordenar os planos de resgate e de ajuda humanitária no país após o terremoto de terça-feira, que afetou 3 milhões de pessoas e pode ter deixado ao menos (ONU).

Veja também:

linkFMI doará US$ 100 milhões ao Haiti

linkAjuda humanitária começa a chegar ao Haiti

linkEquipes de resgate estão a caminho do país

linkHaitianos passam noite nas ruas entre corpos

linkBrasil e EUA pedirão mais doações ao Haiti

link14 militares brasileiros estão mortos

 

Um plano emergencial foi formado para enfrentar os cinco problemas mais graves detectados pelas autoridades brasileiras no Haiti:o sepultamento dos mortos; socorro médico aos feridos; remoção de destroços; reforço da segurança nas operações; e distribuição de suprimentos, principalmente água e comida.

O plano de ação será discutido hoje com o presidente do Haiti , René Préval, e líderes religiosos e prevê, entre outras medidas, o reforço de engenheiros e equipamentos pesados da Construtora OAS, que realiza obras no Haiti, para a retirada de escombros nas ruas.

Resgate

A Força Aérea Brasileira (FAB) vai enviar ainda hoje para Porto Príncipe, no Haiti, o seu Hospital de Campanha (HCAMP) para auxiliar no socorro às vítimas do terremoto que atingiu aquele país.

De acordo com o Ministério da Defesa,serão enviados 46 militares da área de saúde, entre médicos e enfermeiros, além de equipamentos para centro cirúrgico, unidade de terapia intensiva (UTI), raio-X, laboratório e módulos para atendimento ambulatorial. O hospital móvel atenderá urgências e emergências, com capacidade de realizar cirurgias e de socorrer pacientes graves.

O governo brasileiro vai enviar 50 bombeiros e cães farejadores para ajudar na localização de corpos. Parte da equipe, trabalhou no resgate das vítimas das enchentes em Angra dos Reis.  As autoridades brasileiras vão pedir ao governo haitiano que indique uma área para instalação de um cemitério, para que os engenheiros brasileiros ajudem nos sepultamentos.

VEJA TAMBÉM:
\"especial\" Tragédia e destruição no Haiti
\"especial\" Os piores terremotos na América Latina
\"especial\" Os piores terremotos da década
blog Blog: repercussão em tempo real
blog População do Haiti se comunica com mundo via Web
\"som\" Representante da OEA fala do tremor
\"mais A tragédia em imagens
\"lista\" Leia tudo que já foi publicado

Ajuda humanitária e tropas

Ontem, o governo anunciou o envio de US$ 15 milhões ao Haiti. Oito aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB)levaram água e alimentos às vítimas do terremoto. Ainda na quarta-feira, o Comando do Exército que o Ministério da Defesa está estudando o envio de tropas adicionais ao Haiti.

 

O Exército informou também que o rodízio das tropas brasileiras que acontece a cada seis meses foi suspenso temporariamente, sem previsão de quando será retomado.

 

Informações sobre brasileiros

 

O Itamaraty informou nesta quarta-feira, 13, em nota, que montou uma sala de crise que vai funcionar 24 horas por dia, sob a coordenação do embaixador Marcos Vinícius Pinta Gama.

 

Informações referentes a cidadãos brasileiros no Haiti poderão ser obtidas junto ao Núcleo de Assistência a Brasileiros, nos seguintes telefones: (061) 3411.8803/ 8805 / 8808 / 8817 / 9718 ou 8197.2284.

 

 

 

 

 

Com informações de Solange Spigliatti e Maíra Teixeira, do Estadão.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.