Brasil e Colômbia discutem a crise com a Venezuela

Segundo Amorim, na conversa com chanceler colombiano não foi acertado nenhum tipo de mediação internacional

Efe,

30 de novembro de 2007 | 01h54

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, conversou nesta quinta-feira, 29, em Bogotá com o chanceler colombiano, Fernando Araújo, sobre a crise nas relações entre Colômbia e Venezuela, informaram fontes diplomáticas. Amorim, "interessado" na crise, segundo as fontes, passou cerca de uma hora na capital colombiana. Ele fez uma escala técnica, voltando de uma viagem ao México. Na conversa com Araújo, o chefe do Itamaraty recebeu um "pormenorizado relatório" da situação nas relações entre Colômbia e Venezuela. "Não conversamos sobre nenhum tipo de mediação internacional nem do presidente Lula. Estamos à expectativa de como se desenvolve o referendo na Venezuela, e depois disso faremos as análises e tomaremos medidas", explicou o chanceler colombiano à Rádio Caracol. Na Colômbia, alguns membros da Comissão Assessora de Relações Exteriores, um órgão consultivo do Executivo, sugeriram uma mediação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para normalizar as relações com a Venezuela. Segundo Araújo, o diálogo com Amorim é parte do trabalho de comunicação com outros chanceleres. Nos últimos dias ele conversou com os do Peru, México e Equador, entre outros. A crise entre Colômbia e Venezuela começou no fim de semana, quando o presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou que "congelaria" as relações com o país vizinho.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaBrasilColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.