Brasil e México dizem que respeitam os rumos da Venezuela

Afirmação foi feita durante visita do ministro Celso Amorim, que convidou Felipe Calderón para visitar o País

Efe,

29 de novembro de 2007 | 03h35

Brasil e México defenderam nesta quarta-feira, 28, a soberania da Venezuela e disseram que respeitarão as decisões que a nação tomar para fixar seu rumo político.  Veja também:Chávez rompe relações com governo de UribeChávez ameaça processar CNN por 'incitar magnicídio'Chávez chama Uribe de 'triste peão' dos EUA e Colômbia reageEspecial: Tensão na América do Sul    "A Venezuela é um país irmão, amigo e aliado do Brasil, assim como o México e a Colômbia, e com o qual mantemos a melhor relação", afirmou o ministro de Relações Exteriores Celso Amorim, durante uma entrevista coletiva conjunta com a chanceler mexicana, Patricia Espinosa. "México e Brasil respeitam o Estado de direito e a democracia. Estamos unidos pelos valores dos direitos humanos e da legalidade", acrescentou a chefe da diplomacia mexicana. Ela disse que qualquer situação que afete a vida política, econômica ou social é observada com atenção, "não somente na Venezuela mas em todos os países da região". Os dois chanceleres responderam às perguntas da imprensa sobre a situação na Venezuela, onde milhares de pessoas saíram às ruas nos últimos dias em manifestações a favor ou contra a reforma constitucional promovida pelo governo de Hugo Chávez. Amorim, na sua visita de dois dias ao México para fortalecer os laços bilaterais, transmitiu um convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao líder mexicano, Felipe Calderón, para uma visita de Estado ao Brasil em meados de 2008. A chanceler mexicana disse que a viagem "constituiria uma magnífica oportunidade para fortalecer os vínculos entre os dois países". Os dois ministros discutiram cooperação bilateral, comércio, intercâmbios culturais e educativos. Em agosto, o presidente Lula visitou o México para reforçar os laços políticos, econômicos, comerciais e amistosos entre os dois países.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilMéxicoVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.