Brasil faz propostas a Colombia para acordo humanitário

Sugestão - não revelada por assessor - teria sido levantada durante café da manhã entre Lula e Alvaro Uribe

Marina Guimarães, da AE,

10 de dezembro de 2007 | 13h06

O Brasil teria feito sugestões ao governo da Colômbia para a liberação dos reféns das Forcas Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), segundo insinuou o assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia.   Ingrid é o tema em posse argentina   O assunto foi tratado durante uma reunião nesta manhã na residência do Embaixador do Brasil em Buenos Aires, entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Álvaro Uribe. Porém, Garcia não revelou maiores detalhes. "Nós não podemos nos antecipar. As propostas foram feitas ao presidente Uribe e cabe à ele divulgar", disse Garcia em entrevista à imprensa.   "Essas questões ou se faz em gestões discretas ou não se faz. Essas questões não se pode resolver à margem de uma decisão do governo colombiano", arrematou Garcia. Segundo ele, o presidente Lula reiterou que "tudo que o governo colombiano considera que o Brasil possa fazer para conseguir um acordo humanitário que permita a libertação dos reféns e mais adiante a negociação de paz, o governo brasileiro está disposto a fazer".   Garcia disse ainda que foram discutidas questões como o Banco do Sul e o comércio bilateral na reunião entre os dois presidentes. "Existem restrições legais de uso de reservas na Colômbia e o presidente explicou que vai ter que consultar a forma para que o Banco Central daquele país possa participar do Banco do Sul e cada país vai ter uma maneira", explicou.   Comércio bilateral   Sobre o comércio bilateral, "é muito bom, mas está muito desequilibrado a favor do Brasil e, evidentemente a política brasileira busca uma forma de compensar o déficit, e uma forma é aumentar os investimentos brasileiros lá".   A Petrobras, por exemplo, continuou Garcia, "está fazendo a prospecção de petróleo lá; a Gerdau está lá também e há interesses do governo colombiano de que nós estimulemos mais empresas brasileiras para irem lá e o presidente Lula se comprometeu em realizar uma série de contatos". Em janeiro, ou fevereiro, segundo Garcia, durante a próxima viagem de Lula à Colômbia, "o presidente irá acompanhado por uma nutrida delegação de empresários".

Tudo o que sabemos sobre:
FarcLulaAlvaro Uribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.