Brasil pede à ONU que investigue direitos humanos em Honduras

Países latino-americanos querem garantias da integridade física de Zelaya e para a embaixada brasileira

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

23 de setembro de 2009 | 07h28

O Brasil apresentou resolução na Organização das Nações Unidas (ONU) pedindo investigação sobre abusos de direitos humanos em Honduras. A resolução foi negociada com os países latino-americanos e circula nesta quarta-feira, 23, no Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra.

 

Veja também:

linkEstádio virou prisão em Honduras, diz órgão de direitos civis

linkPara juristas, situação de Zelaya é caso inédito

linkCrise hondurenha expõe tendência da diplomacia brasileira

linkProposta de diálogo de Micheletti é 'manipulação', diz Zelaya

link'Golpistas estão exagerando', diz Lula

link Entrevista: Zelaya diz que espera solução pacífica para crise

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA

lista Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda em Honduras

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

mais imagens Veja galeria de imagens do retorno

som Eldorado: Ouça comentário de Lula sobre crise política

video TV Estadão: Jornalistas do 'Estado' discutem impasse em Honduras

 

A resolução, que o Brasil espera ser aprovada por consenso, condena mais uma vez o golpe em Honduras. Pelo documento, os países "pedem à Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU que prepare um relatório completo sobre as violações de direitos humanos". O periodo de investigação seria posterior ao golpe que derrubou o presidente eleito Manuel Zelaya. O relatório seria apresentado mais tarde à Assembleia Geral da ONU em Nova York e ao Conselho de Direitos Humanos da organização.

 

Além da resolução, os países latino-americanos circularam a todos os governos da ONU hoje uma declaração pedindo que os golpistas em Honduras garantam a integridade física de Manuel Zelaya e a inviolabilidade da missão brasileira na capital do país centro-americano.

 

Além do pedido de investigação no Conselho de Direitos Humanos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve tratar da crise em Honduras em seu discurso de abertura na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, que acontece nesta quarta-feira, às 10h. O presidente brasileiro tradicionalmente é o primeiro a discursar na assembleia anual da ONU.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasBrasilONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.