Brasil pretende ajudar Bolívia contra tráfico de drogas

Segundo autoridade boliviana, os dois países podem revisar convênio bilateral na cooperação nas fronteiras

AP

15 de setembro de 2010 | 03h15

LA PAZ - O Brasil anunciou a disposição de ampliar sua ajuda a Bolívia para o combate ao narcotráfico e a erradicação de arbustos de coca em zonas proibidas, informou na terça-feira, 14, o vice-ministro boliviano de Defesa Social.

"O Brasil está predisposto a revisar o convênio bilateral para uma maior cooperação em matéria de interdição, também existe o interesse da erradicação forçosa de cultivos ilegais nos parques nacionais", sinalizou o vice-ministro Felipe Cáceres, a agência estatal boliviana ABI.

O funcionário mencionou que se maneja a possibilidade de que o Brasil duplique o milhão de dólares que atualmente destina a Bolívia para este fim, e também anunciou que viajaria ao território brasileiro nas próximas horas.

O objetivo da viagem de Cáceres é reunir-se com as autoridades brasileiras para revisar o convênio bilateral e otimizar o Plano Bra-Bo, que executam nas zonas fronteiriças.

"O princípio da corresponsabilidade na luta conjunta contra o narcotráfico, Brasil e Bolívia executaram o Plano Bra-Bo, respeitando a soberania entre os países", adiantou.

A Bolívia é o terceiro produtor de coca e cocaína depois da Colômbia e Peru, segundo a ONU. Brasil é o principal mercado da cocaína boliviana e outra que ingressa desde o Peru.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.