Brasileiros acusados de ligação com as Farc são condenados

Segundo denúncia, eles planejavam o roubo de 1 tonelada de ouro na Venezuela com membros da guerrilha

Efe,

21 de agosto de 2009 | 09h13

Dois brasileiros, acusados de terem vínculos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), foram condenados na quinta-feira, 20, a mais de 16 anos de prisão por diferentes crimes, segundo uma sentença do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

 

A 5ª Vara Criminal de Belo Horizonte condenou João Ferreira Lima e Paulo César Miguez pelos crimes de formação de quadrilha, latrocínio, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e falsidade ideológica. Lima, sentenciado a 16 anos e meio de prisão, e Miguez, condenado a 16 anos e dois meses, estariam planejando o roubo de uma tonelada de ouro na Venezuela, junto com membros das Farc, de acordo com uma denúncia anônima feita antes de sua prisão, em fevereiro.

 

Os dois homens foram detidos em fevereiro na cidade de Guaraí, no Tocantins, e vários pedidos de prisão foram feitos contra eles, emitidos em diferentes estados por assaltos a bancos, sequestros, homicídios e tráfico de armas, além dos crimes pelos quais foram condenados.

 

Durante a detenção, acessórios e armas de uso policial, placas de automóveis e documentos falsos foram confiscados, além de uma metralhadora Brownning calibre 50 do Exército americano e que também seria utilizada no assalto em território venezuelano. O juiz Rinaldo Kennedy Silva negou um pedido de liberdade condicional solicitado pela defesa e determinou que a primeira parte da sentença deverá ser cumprida em regime fechado.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.