Buenos Aires faz convocações de última hora para eleições

Junta Eleitoral pretende preencher 7.900 cargos nos colégios eleitorais até domingo

Denise Abarca, Agência Estado

27 de outubro de 2007 | 10h06

Com menos de 24 horas para o início da eleição presidencial deste domingo na Argentina, a Junta Nacional Eleitoral de Buenos Aires trabalha contra o relógio para evitar atrasos na abertura e no desenvolvimento do processo de votação. O órgão pretende preencher até domingo, 26, 7.900 cargos nos colégios eleitorais, cujas convocações por telegramas não foram atendidas, por meio de nomeações de cidadãos voluntários e funcionários públicos.  A Junta Eleitoral enviou 17.500 telegramas para preencher as 5.900 mesas de votação portenhas, sendo que cada uma delas é composta de um titular e dois suplentes. Houve 15.000 devoluções de telegramas e 1.300 recusas de convocados que informaram ao órgão que não poderão trabalhar na eleição. Na quinta-feira, 25, mais 16.000 telegramas foram enviados. O governo admite que, em princípio, as "deserções" podem gerar alguma demora no processo de apuração de votos, que deve ser realizada no centro de informática montado no Correio Central, mas nada de impacto significativo. As informações são do site do jornal La Nación.

Tudo o que sabemos sobre:
argentinaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.