Divulgação/Casa Branca/Reuters
Divulgação/Casa Branca/Reuters

Bush e Clinton saem em defesa de Obama na TV americana

Ex-presidentes, que coordenam fundo de ajuda privada, dizem que não é momento para política

Associated Press,

17 de janeiro de 2010 | 16h22

Os ex-presidentes americanos George W. Bush e Bill Clinton saíram em defesa do atual ocupante da Casa Branca, Barack Obama, e negaram que haja qualquer interesse político na ação americana de ajuda às vítimas do terremoto do dia 12 no Haiti.

Repercussões políticas:

link Brasil pedirá que ONU defina papéis no Haiti

linkEUA não vão se sobrepor a Minustah, diz adido militar

linkApós encontro com Préval, Hillary promete parceria com Haiti

linkPara analistas, Obama tenta superar lições do Katrina

linkMéxico propõe reunião do Conselho de Segurança da ONU

"Não é hora de se preocupar com política", disse Bush em uma entrevista gravada no sábado para o programa Meet The Press, da NBC. Os dois antecessores de Obama irão coordenar um fundo privado de ajuda ao Haiti.

VEJA TAMBÉM:
video Assista a análises da tragédia
mais imagens As imagens do desastre
blog Blog: Gustavo Chacra, de Porto Príncipe
especialEntenda o terremoto
especialInfográfico: tragédia e destruição
especialCronologia: morte no caminho da ONU
lista Leia tudo que já foi publicado

Bush disse que não sabe a que se refere, os críticos quando dizem que o presidente tenta somar pontos políticos ao ordenar uma resposta ampla à catástrofe. "Tem uns caras que são...filhos perderam seus pais e estão sem água. Há um desespero enorme. Quero ajudar essas pessoas a lidar com o desespero", acrescentou o ex-presidente.

Um dos mais ferozes críticos de Obama tem sido o radialista conservador Rush Limbaugh, que pediu a seus ouvintes que não dê dinheiro pois acredita que não tinha certeza de que a ajuda seria realmente destinada ao Haiti.

Clinton disse que o debate político é saudável, mas que não se deve deixar o partidarismo influenciar questões humanitárias. "Não ajuda em nada perder tempo com um assunto tão sem sentido", afirmou. "Um desastre desta magnitude nos faz lembrar que todos somos humanos".

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.