Cachorro é preso acusado de agressão no Equador

Animal, que não tem antecedentes criminais, deve ficar detido em um cela com outros réus, diz polícia

Efe,

24 de outubro de 2007 | 07h50

Um cão da raça Rottweiler foi detido pela Polícia e levado a uma prisão de Quito, no Equador, acusado de atacar uma pessoa, informou um canal de televisão nesta quarta-feira, 24.   O coronel Rodrigo Tamayo, chefe da Polícia Judiciária da província de Pichincha, confirmou ao canal Ecuavisa que Toby, o cachorro detido, está nas celas da instituição com outros réus.   "O cão está na qualidade de detido, porque no domingo passado atacou uma pessoa", afirmou Tamayo.   O intendente da Polícia de Pichincha, Mario Cárdenas, que teria ordenado a detenção, afirmou que o animal causou ferimentos e hematomas na vítima.   Segundo a Ecuavisa, o cão não registra antecedentes criminais. O seu dono pode ser condenado a pagar uma multa de US$ 2 a US$ 4.   Além disso, o animal está sob vigilância policial, recebendo o mesmo tratamento que os demais internos. Ele tem horários de visita, de banho e de alimentação. Mas a sua cela é uma jaula localizada num dos pátios da Polícia Judiciária.   Tamayo disse estar preocupado com o fato, pois um dos problemas da cidade é a superlotação nas prisões, agravada agora pela presença "de animais".

Tudo o que sabemos sobre:
CachorroQuitoAgressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.