Calderón pede apoio da população mexicana na luta contra o narcotráfico

Presidente investe no combate às drogas desde que assumiu o poder, no final de 2006

Reuters

16 de junho de 2010 | 10h10

CIDADE DO MÉXICO - O presidente do México, Felipe Calderón, disse na terça-feira, 15, que a campanha do seu governo contra o narcotráfico não é uma cruzada pessoal, e pediu ajuda da população contra a crescente violência provocada pelo crime organizado.

Quando assumiu o cargo, no final de 2006, Calderón mobilizou o Exército e a polícia para combater os poderosos cartéis de traficantes. Desde então, confrontos entre criminosos e destes com as forças de segurança causaram 23 mil mortes.

"Não é nem deve ser a luta só do presidente, e sim de todos os mexicanos", disse Calderón na noite de terça-feira em rede nacional de TV. "É uma luta de todos os mexicanos, porque os criminosos não fazem distinção e ferem a sociedade." Nos últimos dias, dezenas de pessoas morreram em tiroteios, emboscadas e chacinas em vários pontos do país.

Embora o governo tenha conseguido vitórias expressivas contra o narcotráfico, inclusive com a prisão de diversos líderes e a apreensão de grandes cargas de drogas, Calderón tem sido alvo de críticas por causa dos abusos cometidos por soldados e da morte de civis no fogo cruzado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.