Câmara abre investigação de Uribe e paramilitares na Colômbia

Presidente colombiano será investigado por suspeita de envolvimento com paramilitares na reeleição, em 2005

Ansa,

13 de maio de 2008 | 16h17

O presidente colombiano Álvaro Uribe será investigado por um grupo de três parlamentares selecionados pela Câmara dos Deputados, para verificar a suspeita envolvimento e influência de organizações paramilitares na reeleição de Uribe, em 2005.  Veja também:Uribe extradita chefes paramilitares presos para os EUA Segundo a agência Colprensa, a presidente da Comissão de Acusação da Câmara, Amanda Ricardo, designou dois deputados governistas e um da oposição liberal para a investigação. São eles José Piamba, Edgar Torres e Jaime Duran Barrera, respectivamente. O grupo deverá investigar a denúncia contra o presidente Uribe, apresentada pelo deputado Luis Carlos Avellaneda (Partido Pólo Democrático, de esquerda), e também as acusações do caso Medina, enviado pela Suprema Corte da Justiça. Recentemente, a ex-parlamentar Yidis Medina foi presa, sob ordem da Suprema Corte, após admitir que vendeu seu voto para favorecer o segundo mandato de Uribe. A presidente da Comissão designou o deputado Torres como coordenador do grupo parlamentar de investigação sobre as relações entre Uribe e os paramilitares. Mas a decisão foi criticada pelo autor da denúncia, o deputado Avellaneda, já que Torres "já manifestou publicamente sua proximidade com Uribe."

Tudo o que sabemos sobre:
UribeColômbiaparamilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.