Câmara da Colômbia manda novo 'cala-boca' a Chávez

A Câmara de Representantes da Colômbiaexigiu que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, contenha osconstantes ataques que vem fazendo contra o mandatário AlvaroUribe, depois da suspensão da intervenção do venezuelano nanegociação com os rebeldes das Farc. Foi mais um "cala-boca" ouvido por Chávez, depois do reiJuan Carlos, da Espanha, que durante a Cúpula Ibero-Americana,no mês passado, no Chile, mandou o venezuelano se calar. "Esperamos que o senhor presidente Hugo Chávez pare com osconstantes ataques contra o povo colombiano e ao mesmo tempo oexortamos para que suas declarações se tornem construtivas, emprol das relações binacionais, e que ele não continue agredindoo chefe de Estado da República da Colômbia", disse a moçãoaprovada na quinta-feira. As relações entre Colômbia e Venezuela estão em seu piormomento em anos, depois de Chávez ter chamado Uribe dementiroso. Os ataques começaram quando Uribe tirou Chávez damediação das negociações com as Forças Armadas Revolucionáriasda Colômbia (Farc), que visavam à libertação de um grupo dereféns. Chávez foi retirado das negociações por ter entrado emcontato com o comandante do Exército da Colômbia sem consultarUribe. Entre os reféns está a ex-presidenciável IngridBetancourt, sequestrada durante a campanha, há quase cincoanos. Depois de uma forte reação contra Chávez, Uribe vem semantendo discreto. Uribe é forte aliado dos Estados Unidos, osmaiores adversários de Chávez. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.