Camponeses colombianos deixam o Equador

Centenas de camponeses colombianos quetrabalham no cultivo ilegal de coca e fugiram na semana passadapara o Equador voltaram na quinta-feira para suas comunidades,após receberem do governo a promessa de mecanismos rentáveispara abandonar sua atividade atual. Os colombianos chegaram paulatinamente à localidadeequatoriana de San Lorenzo, cerca de 170 quilômetros a noroestede Quito, para pressionar o presidente colombiano, AlvaroUribe, a abandonar um plano de erradicação manual da coca,matéria-prima da cocaína, e exigir alternativas desubsistência. O retorno ocorreu depois que uma comissão de autoridadescolombianas se comprometeu a analisar os pedidos doscamponeses, cujo deslocamento ao país vizinho foi atribuídoinicialmente a uma situação humanitária. Uma vez conhecida areal motivação deles, houve mal-estar por parte de Quito. "Chegou-se a um feliz acordo, que permitiu o retorno",declarou o embaixador da Colômbia no Equador, Carlos Holguín,sem citar detalhes. Pelo menos 1.500 colombianos estiveram envolvidos nodeslocamento, um dos maiores em vários anos. O episódioprovocou atrito entre os dois países e ultrapassou a capacidadeequatoriana de atender aos refugiados. "Desde hoje se iniciou o retorno dos deslocados. Está sendorealizado de maneira ordenada", disse à Reuters o prefeito damiserável San Lorenzo, Gustavo Samaniego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.