Candidato da oposição chilena rejeita acesso ao mar para Bolívia

O candidato presidencial da oposição direitista no Chile, Sebastián Piñera, disse nesta terça-feira ser contrário a uma saída para o mar para a Bolívia. O Peru, que tem contenda semelhante com o Chile, se preocupa com um pacto entre La Paz e Santiago negado por ambos os governos.

REUTERS

25 de agosto de 2009 | 20h04

Em entrevista a duas agências internacionais, o milionário empresário, que lidera as pesquisas para ganhar as eleições de 13 de dezembro no Chile, mostrou-se, porém, a favor de permitir todos os acessos portuários ao comércio boliviano.

Em matéria de finanças, Piñera afirmou ser "partidário de manter a regra do superávit (fiscal) estrutural em zero por cento", como estabeleceu temporariamente o atual governo do bloco de centro-esquerda Concertação ao lançar um plano de estímulo para atacar a crise global.

A regra, que permitiu à economia chilena minorar os efeitos da crise, estabelece um superávit de médio prazo para economizar recursos em tempos de bonança e gastar em tempos de vacas gordas.

(Reportagem de Antonio de la Jara)

Tudo o que sabemos sobre:
CHILEELEICAOPRESIDENTEBOLIVIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.