Johan Ordonez/AFP
Johan Ordonez/AFP

Candidato do PRI Peña Nieto será novo presidente do México

Amostragem foi elaborada pelo Instituto Federal Eleitoral (IFE), órgão reitor do pleito

Reuters

02 de julho de 2012 | 07h42

CIDADE DO MÉXICO - O Partido Revolucionário Institucional (PRI), que governou o México pela maior parte do século 20, proclamou vitória na eleição presidencial de domingo, encerrando um período de 12 anos na oposição, após uma campanha dominada pelas preocupações econômicas e a guerra contra o tráfico de drogas. A amostragem, conhecida como contagem rápida dos votos, foi elaborada pelo Instituto Federal Eleitoral (IFE), o órgão reitor do pleito.

Veja também:

linkCandidato do PRI declara vitória no México e é felicitado por Calderón

linkPartido que dirigiu México por sete décadas deve retomar hegemonia

linkGovernistas denunciam irregularidades em 10% das mesas eleitorais do México

Com a promessa de restaurar o crescimento econômico, o candidato Enrique Peña Nieto conquistou uma vantagem clara sobre seus adversários nas pesquisas de boca-de-urna e numa contagem inicial dos votos realizada pelas autoridades eleitorais.

Apesar de os principais concorrentes terem afirmado que ainda é cedo demais para reconhecer a derrota, Peña Nieto, de 45 anos, realizou um discurso da vitória à noite saudando seus eleitores, e uma importante autoridade eleitoral disse que a vantagem do candidato do PRI é irreversível.

"Os mexicanos deram uma nova chance ao nosso partido. Vamos honrar os resultados", disse um visivelmente emocionado Peña Nieto aos seguidores na sede do PRI, na Cidade do México.

Eleitores em festa comemoraram com cartazes com caricaturas de seu candidato e bandeiras com as cores vermelho, verde e branco -- da bandeira do México e também do partido.

O presidente Felipe Calderón, que está deixando o cargo, saudou Peña Nieto pela vitória, que representou uma volta por cima para o PRI.

Com retornos de mais de dois-terços das urnas, Peña Nieto tinha 37 por cento dos votos, mais de quatro pontos percentuais à frente do adversário de esquerda Andrés Manuel López Obrador.

Projeções iniciais da emissora de TV Milenio indicaram que o PRI não conseguiu votos suficientes para formar maioria absoluta tanto no Senado como na Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.