Candidato favorito no México quer mais capital privado na Pemex

O candidato favorito nas próximas eleições presidenciais do México, em julho, Enrique Peña Nieto, disse na quarta-feira que sua proposta de abrir a companhia petrolífera ao capital privado se refere a todas as áreas da empresa, incluindo o refino de petróleo.

REUTERS

24 de novembro de 2011 | 09h11

Peña Nieto, cuja vitória na eleição marcaria o retorno do Partido Revolucionário Institucional (PRI) ao poder no México, propôs realizar uma reforma constitucional para conseguir maior abertura no setor petrolífero, o principal sustentáculo da economia do país - a segunda maior da América Latina.

"Pra mim, parece que se continuamos esperando que somente a Pemex desenvolva a infraestrutura e sua capacidade produtiva de exploração, de produção, de refino, de petroquímica básica, teremos de esperar muito tempo", declarou o candidato à emissora Foro TV.

"Estamos perdendo uma janela de oportunidade para atrair grandes investimentos que gerem empregos e aproveitem o potencial desta empresa", acrescentou.

O México é o sétimo maior produtor mundial de petróleo, mas suas reservas sofrem um preocupante declínio.

O presidente Felipe Calderón conseguiu em 2008 que o Congresso aprovasse uma reforma que pela primeira vez permitiu a participação do setor privado em áreas como exploração e produção de petróleo este ano, mas atualmente as autoridades e analistas da indústria acreditam que essa abertura é insuficiente.

O México é um importante fornecedor de petróleo para os Estados Unidos e está tentando elevar sua produção para recuperar o nível de 3 milhões de barris por dia (bpd) que registrou em 2004. Atualmente a produção está em cerca de 2,5 milhões bpd.

(Reportagem de Anahí Rama)

Tudo o que sabemos sobre:
MEXICOELEICAOPETROLEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.