Candidato paraguaio comemora ser 'dor de cabeça' para Brasil

O candidato presidencial paraguaioFernando Lugo, favorito nas pesquisas para as eleições de 20 deabril, comemorou na segunda-feira ser uma "dor de cabeça" parao Brasil por sua intenção de renegociar o tratado de fundaçãoda hidroelétrica binacional de Itaipu. Lugo, um ex-bispo católico que representa uma aliança departidos e movimentos opositores, tem como foco de campanha areclamação de um preço melhor pela energia que o Paraguai vendea seu principal sócio comercial. Alguns veículos de imprensa do Brasil o classificaram comoo vizinho "revoltado" e o jornal Folha de S. Paulo informou nodomingo que Lugo pode se tornar uma dor de cabeça para ogoverno de Luiz Inácio Lula da Silva. "Mas menos mal, menos mal (que) alguém no Paraguai causador de cabeça ao Brasil", disse o candidato ao ser consultadopor jornalistas sobre o conteúdo da matéria. "Foram 34 anos de entrega, 34 anos de doação, e reclamamoso justo para o Paraguai. E o faremos hoje, o faremos amanhã",completou. Lugo disse ainda que as publicações que o mencionam como uminimigo do Brasil são parte de uma "guerra suja bem preparada"por seus adversários "que não conseguem subir no índice depreferências nas pesquisas e utilizam outros meios para ver selhes dão um pouco de rating político". As pesquisas colocam o ex-bispo com 30 a 39 por cento dasintenções de voto, à frente da candidata do governista PartidoColorado, Blanca Ovelar, e do general reformado Lino Oviedo,seus principais adversários. O tratado de Itaipu, assinado em 1973 para a construção dahidroelétrica, estabelece que o Paraguai deve vender ao Brasilo excedente de sua parte na energia gerada pela usina a umpreço inferior ao de mercado. Itaipu gera 20 por cento da energia consumida pelo Brasil,a maior parte destinada às regiões Sudeste e Sul. Lugo disse que os paraguaios, com os atuais preços dopetróleo, pagam mais de 1 bilhão de dólares para importarhidrocarbonetos, enquanto pela exportação hidroelétrica recebemmenos de 400 milhões de dólares anuais. O Paraguai compartilha ainda com a Argentina ahidroelétrica Yacyretá. A receita que obtém pela venda deenergia em ambas as centrais representa uma entrada importantepara sua pequena economia. O candidato tem um encontro previsto com Lula em 2 de abrilno Brasil. (Reportagem de Daniela Desantis)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.