Cartéis assassinam três presos e penduram seus corpos em ponte no México

Prisioneiros haviam fugido da prisão; estado de Morelos é cenário de crimes brutais do narcotráfico

estadão.com.br,

13 de julho de 2010 | 17h25

MÉXICO- Três presos que haviam fugido de uma penitenciária do centro do México foram assassinados e seus cadáveres foram suspensos em uma ponte que liga a cidade de Cuernavaca com Acapulco, informou a polícia mexicana nesta terça-feira, 13, à agência de notícias AFP.

 

"As vítimas estavam amarradas nos pés e nas mãos, com marcas de tortura e de balas", falou por telefone uma fonte da polícia de Cuernavaca, capital do estado de Morelos, 60 km ao sul da capital mexicana. Junto aos corpos, foram encontrados mensagens de cartéis de drogas, cujo conteúdo não foi revelado.

 

As vítimas, que tinham 21, 23 e 36 anos, haviam fugido da prisão de Atlacholoaya, também em Morelos, que faz divisa com a Cidade do México, de acordo com a Procuradoria estadual.

 

Em maio, o diretor dessa penitenciária foi assassinado e seu corpo apareceu esquartejado com uma mensagem do narcotráfico.

 

Morelos é cenário de uma série de assassinatos brutais atribuídos a rixas internas no cartel dos irmãos Beltrán Leyva, cujo capo morreu em uma operação militar em Cuernavaca no fim do ano passado.

 

No país, mais de 23.000 pessoas morreram em crimes atribuídos ao narcotráfico desde dezembro de 2006, quando o governo do presidente Felipe Calderón declarou guerra contra os cartéis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.