Casa Branca diz que Obama não corre risco após ir ao México

Explosão da epidemia coincidiu com a visita do presidente norte-americano à capital mexicana

EFE

26 de abril de 2009 | 01h47

A Casa Branca assegurou neste sábado que a saúde do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não corre perigo após sua recente viagem à capital mexicana, onde já morreram várias pessoas devido à gripe suína.

 

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, afirmou à imprensa americana que a viagem do presidente ao México, que aconteceu em 16 de abril, "não pôs em perigo sua saúde". Alguns meios de imprensa informaram que a explosão da epidemia coincidiu com a visita de Obama à cidade do México, onde visitou o Museu de Antropologia e se reuniu com um distinto arqueólogo, Felipe Solís.

 

O arqueólogo morreu dois dias mais tarde com sintomas similares aos da doença, segundo informa o jornal mexicano "Reforma", sem que exista certeza que se tratasse da gripe suína.

 

Fontes da Casa Branca asseguraram, de qualquer forma, que Obama recebe informação de maneira permanente sobre o desenvolvimento da epidemia, com especial atenção do Departamento de Segurança Nacional e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças.

Tudo o que sabemos sobre:
GRIPE SUÍNAMÉXICO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.