Cerca de 40 mil pessoas no Gay Parade Chile exigiram igualdade de direitos

O evento contou com quatro palcos nos quais se apresentaram diversos artistas

Efe,

14 de novembro de 2010 | 02h53

Cerca de 40 mil pessoas se reuniram no sábado,13, no "Gay Parade Chile", para exigir das autoridades uma lei contra a discriminação e uma lei de casamento homossexual, entre outras iniciativas.

Rolando Jiménez, presidente do Movimento de Integração e Liberação Homossexual (Movilh), se manifestou emocionado pela resposta que teve o evento realizado no Paseo Bulnes, em frente à La Moneda, sede do governo.

"Estamos felizes com a massiva recepção que teve esta grande festa contra a discriminação, 40 mil pessoas superam todas nossas expectativas", afirmou Jiménez à Agência Efe.

Explicou que pela primeira vez chegaram para a reunião centenas de pessoas de regiões para exigir uma lei de união civil, outra de identidade de gênero e lei de casamento homossexual.

O dirigente disse que nem o governo nem os parlamentares cumpriram com suas promessas de campanha com a diversidade sexual e pediu às autoridades para concretizar seus compromissos.

O evento, a quinta edição do Gay Parade Chile, denominado este ano Open Mind Fest, contou com quatro palcos nos quais se apresentaram diversos artistas.

Durante o evento milhares de pessoas pediram igualdade social, cultural e legal para todas as pessoas mediante palavras de ordem, músicas, bandeiras do arco íris e cartazes.

"Em um país onde ainda se continua detendo as pessoas por expressar seu afeto por alguém do mesmo sexo em espaços públicos, estamos aqui exercendo o direito a nossas expressões", disse Jiménez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.