Daniel Teixeira/ ESTADÃO-24/2/2019
Daniel Teixeira/ ESTADÃO-24/2/2019

Cerca de mil membros da Polícia venezuelana desertam para a Colômbia

Ministério de Relações Exteriores da Colômbia informou que há um número significativo de pedidos de refúgio tramitando no governo

EFE, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2019 | 01h34

Bogotá - Cerca de mil membros da Polícia da Venezuela desertaram para a Colômbia na busca de proteção e entregaram seu armamento e uniformes, que estão sob custódia das autoridades colombianas.

A chancelaria da Colômbia detalhou em comunicado que junto a eles chegaram cerca de 400 membros das suas famílias, pelo que o governo colombiano estabeleceu um procedimento de "recepção e atendimento" que tem como base as disposições internacionais sobre direitos humanos. 

O Ministério de Relações Exteriores acrescentou que os desertores foram entrevistados pelas autoridades migratórias e receberam atendimento em saúde, apoio legal, alojamento provisório e alimentos.

Além disso, a chancelaria informou que um número significativo de membros deste grupo está tramitando pedidos de refúgio e quem já teve a demanda aprovada receber os "salvo-condutos" que lhes permitirão permanecer na Colômbia enquanto a Chancelaria realiza os procedimentos correspondentes.

O Governo colombiano também destacou o apoio logístico dado pelo escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur). "Vale a pena esclarecer que o Governo colombiano não tolerará nenhuma alteração do ordem pública ou ameaças à segurança por parte de nenhum cidadão, de nenhuma condição ou nacionalidade, e estará atento a tomar as decisões devidas em caso de acontecer alguma ameaça desta natureza", acrescentou a Chancelaria. 

Ajuda humanitária

As deserções tiveram início em 23 de fevereiro, quando o Brasil e Colômbia começaram as movimentações para entregar mantimentos e remédios à Venezuela como forma de ajuda humanitária.  Os primeiros integrantes da Guarda Nacional Bolivariana que se entregaram na Ponte Internacional Simón Bolívar foram o tenente Richard Sánchez Zambrano e os sargentos-majores Edgar Torres Valera e Óscar Suárez Torres. Eles foram recebidos com aplausos e ovações e, visivelmente emocionados, cumprimentaram as pessoas presentes na passagem fronteiriça.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.