Chanceler colombiano se diz emocionado com resgate de Ingrid

'Este é um ato que devolve a todos os colombianos a fé no país', afirma Fernando Araújo, ex-refém das Farc

Efe,

02 de julho de 2008 | 17h12

O ministro das Relações Exteriores colombiano, Fernando Araújo, que passou seis anos sob o poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), se disse emocionado com a libertação das ex-candidata à Presidência do país, Ingrid Betancourt, e de mais 14 reféns da guerrilha. Veja também:Exército colombiano anuncia o resgate de Ingrid Betancourt O drama de IngridPor dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região    "Este é um ato que devolve a todos os colombianos a fé no país e reafirma à comunidade internacional a seriedade e o caminho adequado que a política de segurança do presidente Álvaro Uribe representa", declarou Araújo aos jornalistas. O chanceler se disse "muito emocionado e muito orgulhoso" do Exército colombiano, que esteve à frente da operação que terminou com a libertação dos grupo de seqüestrados. Os 15 reféns das Farc foram libertados sãos e salvos por soldados nos departamentos do Guaviare e Vaupés, no sul do país. Araújo ficou em poder da guerrilha entre dezembro de 2000 e o mesmo mês de 2006, quando conseguiu fugir. Três meses depois, foi nomeado ministro das Relações Exteriores.

Tudo o que sabemos sobre:
Ingrid BetancourtFarcFernando Araújo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.